São Paulo / SP - sexta-feira, 01 de agosto de 2014

Metabologia

 

Tireoide

I- É responsável por nosso metabolismo mai s eficiente ou não, atuando em diversas áreas de nosso organismo.

 

 

 

 

 

 

Hipotireoidismo sub-clínico (limite inferior)

Hipotireoidismo ou Cretinismo: é a deficiência dos hormônios tireoidianos com graves conseqüências para o organismo, incluindo aumento de peso.

Perspectivas – Desde que tratado corretamente é relativamente fácil controlar, mas é uma moléstia crônica.

 

II- Hipertireoidismo: É o aumento dos hormônios tireoidianos com aumento proporcional dos sintomas. Geralmente a pessoa tem perda de peso (magra) e é agitada.

Perspectivas – O tratamento é um pouco mais complexo que o anterior, mas apesar de crônico é controlável.

 

III- Outras tireopatias: Hashimoto, tireopetrose, etc...

 

Diabetes Melitus

 

 

 

Tipo I:Geralmente ocorre em pacientes com menos de 15 anos e no momento sempre é insulina-dependente.

Perspectivas: Com a Engenharia genética, células tronco e eventual insulina aerosol e outras terapêuticas em evolução que ajudaram a compensar.

  

Tipo II:É a doença multidisciplinar que está acabando com a saúde de milhões de pessoas no mundo. Geralmente além do diabetes, apresenta obesidade principalmente abdominal (visceral), hipertensão arterial, cardiopatias e quando os sintomas aparecem ela já fez um imenso estrago no organismo é a ponta do iceberg.

Perspectiva: Representa aproximadamente 90% dos casos de diabetes, é possível controtá-la, mas é necessário em primeiro lugar tratar a obesidade seguido do tratamento dos outros comprometimentos orgânicos, nutrição, execícios se for possível e não dar facilidades para que os estragos continuem, pois ela tem um índice de morbidade incrivelmente superior comprarados com os mesmos problemas individualmente, incluindo as alterações do colesterol total e suas frações.

 

Alterações de órgãos sexuais

 Pseudo-hermafrodita, hermafrodita verdadeiro, síndrome de Turner, etc...

Perspectivas: São moléstias complexas de origem congênita, fenotípica e tratamentos mais complexos.

 

 

Medicina Ortomolecular

 

É uma especialidca que procura restabelecer o equilibrio molecular do organismo, se preocupando em corrigir qualquer, desequilíbrio na constituição molecular do indivíduo, principalmente porque a maioria das patologias vem acompanhadas por alterações bioquímicas do organismo. Uma correção, principalmente nutricinal, provocaria um restabelecimento do equilibrio interno. Apesar da Medicina Ortomolecular ter um sentindo curativo, ela também pode ser preventiva.

 

 

Geriatria - Gerontologia

 Envelhecer bem é o ideal de todo ser humano e depende muito dos hábitos mantidos durante todo a vida. É evidente que esse é um processo irreversível, mas este não acontece da mesma forma para todas as pessoas, por isso, há uma grande preocupação com a qualidade de vida e promoção da saúde para que se alcance uma velhice saudável, produtiva e feliz. Duas especialidades médicas estão envolvidas neste processo. São elas:

 

Gerontologia: ciência que estuda o processo do envelhecimento, levando em consideração todos os aspectos ambientais e culturais do envelhecer.

 

Geriatria: ciência que estuda e trata das doenças da terceira idade, mas que também se preocupa em prolongar a vida com saúde. 

 

Uso de Somatotrophina (HGH) na prática médica

(HGH) Somatotrophina

 

1-Composição: é composto por 191 aminoácidos (polipeptídeos-proteinas) não apresentam rejeição,

2-Obtenção: obtido por engenharia genética - DNA  recombinante,

3-Caractéristicas: idênticas ao hormônio natural,

4-Aplicações: crianças acima de 1 (um) ano quando apresentam defasagem de crescimento. Adultos Somatopausa com as seguintes expectativas.

 

Primeiro mês

-Aumento de energia

-Melhoram as Histaminas

-Sono melhor e mais sadio sentido-se mais revigorado ao acordar

-Atitude mais otimista e melhora do humor

 

Segundo mês

-Melhora da tonicidade da pele

-Melhora da visão principalmente noturna

-Melhora do tônus muscular

-Perda de peso com diminuição da gordura visceral

-Digestão melhor

-Função sexual revigorada

 

Terceiro mês

-Melhora do raciocínio incluindo o desejo de desenvolver projetos

-Aumento do músculo principalmente se houver atividade física concomitante

-Recuperação mais rápida de ferimentos e de distensões musculares

-Crescimento dos cabelos

-Redução dos sintomas da TPM

-Alívio de alguns sintomas da  Menopausa

-Maior flexibilidade do corpo

-Aumento do desejo sexual

-Aumento da densidade mineral óssea - Osteoporose

-Menos dor

 

Quarto mês

-Mesmos itens acima só que exacerbados

-Aumento da densidade mineral óssea - Osteoporose

 

Quinto mês

-Redução da aparência dos enrugamentos

-Melhora da textura e da aparência da pele

-Maior elasticidade da pele

-Melhora dos cabelos com aparência mais brilhante e saudável

-Redução importante das medidas do corpo pela diminuição da gordura visceral e periférica, com músculos mais fortes

-Aumento da densidade mineral óssea - Osteoporose

 

Sexto mês

É onde os resultados melhor aparecem e de forma importante

-Diminuição importante da celulite

-O corpo apresenta um contorno melhor

-Uma visão extremamente melhor

-As feridas antigas já desapareceram ou estão desaparecendo

-Algumas dores e cicatrizes desaparecem

-Resistência mais fortes às gripes, resfriados e outras doenças

-Melhor estabilidade emocional

-Os cabelos grisalhos começam a retornar a cor natural

-Tolerância excelente aos exercícios

-Em testes médicos foram encontrados alguns benefícios, tais como: redução do mal colesterol (LDL), dos triglicerides e do colesterol total, aumento do bom colesterol (HDL), normalização da PA, melhora da contratilidade do coração, melhora do sistema imunologico. Diminuição importante da gordura visceral. Com dieta e exercícios físicos apropriados, os resultados podem ser mais rápidos, mais profundos e mais pronunciados.

-Aumento da densidade mineral óssea - Osteoporose

-Melhora importante da qualidade de vida.

 

Declinio no GH

 

 

 

 

Contra indicações Formais

-Doenças neoplásicas em atividade

-Hipertensão intra-craniana

-Hipertensão intra-ocular

-Retinopatia diabética

 

 

 

**Prescrição somente através de seu médico.

 

Bibliografia

Estudo catalogo nos Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia - vol.47 - nº 4 - agosto de 2003 - página 319 - Conceição et al.

Grouth Hormone in adults - Phisiological and Clinical Aspectes.

Edited by Ander and Jens O.L. Jorgensen - Danmark - Cambridge University Press - página 285.

- Aumento de densidade mineral óssea constatada pelos Dr. João Santos Caio Jr. e Dra Henriqueta Verlangieri Caio, segundo experiências clínias apresentadas nos trabalhos científicos. Os Dr. João Santos Caio Jr. e Dra Henriqueta Verlangieri Caio são sócios fundadores da Sociedade Brasileira de Densitometria Óssea em 1995 junto à Sociedade Brasileira de Radiologia.  

   

O que é a Nutrição

 

É uma ciência muito complexa, pois estudam os alimentos e tudo o que se relaciona a eles, desde o recebimento e armazenamento até a mesa do cliente. No caso da Nutrição Clínica, é de suma importância saber sobre a patologia do paciente para poder indicar a dieta mais adequada ao seu caso, pois os alimentos e também sua forma de preparo têm o poder de contribuir para a melhora ou piora do quadro clínico de um indivíduo. Além disso, o paciente também deve estar motivado e consciente de suas limitações para que o tratamento tenha o sucesso esperado.

 Bioimpedância

Na clínica é realizado o exame de Bioimpedância pela Nutricionista. Este é de fundamental importância no estudo da composição corporal do paciente, pois permite avaliar a quantidade de fluidos, gordura e massa magra presentes no organismo.   

O peso corporal, isoladamente, não é um indicador da quantidade de gordura, massa muscular ou da saúde dos indivíduos, pois confere apenas uma indicação quantitativa da massa total do corpo, sem avaliar a qualidade desse peso.  

Para a realização deste exame é utilizado um aparelho que consegue medir a gordura corporal através de uma corrente elétrica de baixa intensidade (imperceptível) através de dois eletrodos que são colocados na mão direita e mais dois no pé direito.   

A habilidade para analisar a composição corporal permite direcionar orientações médicas e nutricionais para uma mudança de hábitos e acompanhamento da eficácia do tratamento proposto com produção de histórico gráfico, o que aumenta a motivação, que é imprescindível para se obter um bom resultado.


A pirâmide alimentar e a saúde


Os alimentos estão distribuídos na pirâmide em 8 níveis, de acordo com o nutriente que mais se destaca na sua composição: arroz, pães, massas, batata, mandioca e farinhas em geral (fontes de carboidratos); verduras, legumes e frutas (fontes de vitaminas, minerais e fibras); carnes, ovos, leite e leguminosas (fontes de proteínas, vitaminas e minerais); óleo e gorduras (fonte de gorduras); e açúcares e doces (fonte de carboidratos). Os óleos e açúcares estão no topo da pirâmide mas, também, estão presentes na composição e na preparação dos alimentos, daí a presença destes alimentos em todos os níveis da pirâmide.
Os alimentos estão apresentados em porções. Entende-se por porção a quantidade de alimento em sua forma habitual de consumo (unidades, xícaras, fatias, colheres...) ou em gramas. Essa quantidade é estabelecida a partir das necessidades nutricionais e das dietas específicas de cada pessoa.
 

Equivalentes de porção

Para cada nível da pirâmide foram estabelecidas as porções dos alimentos que são equivalentes em energia. Por exemplo: 1 xícara de leite equivale a meio copo de iogurte ou 1 fatia de queijo minas. O que significa 5 porções do grupo do arroz? Significa, por exemplo, que você pode comer, durante o dia, 4 colheres (sopa) de arroz, 1 pão francês, 5 biscoitos tipo "cream cracker", 3 colheres (sopa) de farinha de mandioca e 1 fatia de bolo.

 

Grupo

N° de porções

Calorias por porção

Equivalente de cada porção

Cereais,  pães,  tubérculos e raízes 5 a 9
150

1 pão francês, 5 biscoitos cream cracker, 2 unidades pequenas de batatas cozidas, 4 colheres das de sopa de macarrão ou arroz.

Verduras e legumes. 4 a 5 15 

1 tomate, 2 colheres das de sopa de cenoura ralada, 15 folhas de alface

Frutas.  3 a 4  70 

1 banana ou maçã ou pêra ou laranja, 1 fatia de mamão ou abacaxi ou melancia, ou 1 copo americano de suco de laranja

Leite, iogurtes, queijos magros. 70 

1 xícara das de chá de leite desnatado, 1 copo de iogurte desnatado, 1 fatia de queijo minas.

Carnes e ovos. 1 a 2  190 

1 bife médio ou 1 filé de frango ou 2 ovos.

Leguminosas. 1 a 2  70

4 colheres das de sopa de feijão, 2 colheres das de sopa de grão-de-bico, 3 colheres das de sopa de lentilha.

Gorduras.  1 a 2  70 

1 colher das de sopa de azeite de oliva ou de outros tipos de óleos, 1 colher de sobremesa de margarina cremosa ou creme vegetal.

Açúcares e doces 1 a 2  110 

1 colher das de sopa de açúcar, uma fatia de bolo simples, 1 copo de refrigerante.

       

As quantidades de porções a serem utilizadas de cada grupo varia conforme a quantidade total de calorias necessárias ao organismo. A quantidade certa de calorias depende da idade, sexo, peso, altura e grau de atividade física.

       

Dicas importantes para sua alimentação

Divida sua alimentação em, pelo menos, 3 refeições ao dia: café da manhã, almoço e jantar.

 

Coma devagar, mastigando bem os alimentos.

 

Ao fazer as refeições fora de casa, mantenha hábitos saudáveis.

 

Procure variar a alimentação de acordo com os grupos dos alimentos para evitar a monotonia alimentar.

 

Escolha sempre uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e grãos.

 

Procure consumir carnes e leites magros.

 

O consumo de gema de ovo e de preparações que as contenham não deve ultrapassar o equivalente a quatro unidades por semana.

 

Modere o consumo de açúcar, doces, sal, e bebidas alcoólicas.

 

Dê preferência aos óleos vegetais (girassol, milho, canola, soja, azeite de oliva), margarinas cremosas ou "light".

 

Utilize temperos naturais (alho, cebola, orégano, cheiro verde etc).

 

Leia os rótulos dos produtos para saber sobre sua composição.

 

Procure consumir os alimentos, sempre que possível, em sua forma natural.

 

Preste atenção ao modo de preparo, dando preferência às preparações assadas, cozidas em água ou a vapor, grelhadas, refogadas.

 

Cuide do seu peso, tendo uma alimentação equilibrada e variada e praticando atividades físicas regularmente.

 

Medidas radicais não são recomendadas. Mude seus hábitos alimentares gradativamente.

 

     

 

Qualidade de vida

 

 

Este é um tema muito presente atualmente em todos os meios de comunicação e sendo assim, na vida de milhões de pessoas. Na busca por uma melhor qualidade de vida, devemos adotar hábitos saudáveis como a prática de exercícios físicos, aliada a uma alimentação  equilibrada, sendo que esta deve conter todos os grupos de alimentos (carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e sais minerais), mas lembrando sempre de não exagerar nas quantidades e respeitar o horário das refeições.

 

 

O profissional Nutricionista baseia-se na avaliação antropométrica, no consumo e freqüência alimentar, nas patologias do paciente e também no histórico de antecedentes familiares para fazer orientações nutricionais, tendo como objetivo promover uma reeducação alimentar para que o mesmo possa viver com mais qualidade de vida.

 

Dr. João Santos Caio Jr

Endocrinologista

 

Edna Arenas Barbosa

Nutricionista

CRN 14329

 

Clinicas Caio

Rua Estela. 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/ 122

Nextel:(11)7717-1257

ID:111*101625

Fone: 55 (11) 5087-4404 - Fax 55 (11) 7486-1161

Paraíso - São Paulo - SP - CEP 04011-002

email - vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
email -
drcaio@vanderhaagenbrasil.com

email - drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com

 

Link site mais detalhes: www.vanderhaagenbrazil.com.br

www.crescimentoinfoco.com.br

www.obesidadeinfoco.com.br

www.tireoidismo.com.br

www.clinicasvanderhaagenbrasil.com.br

www.drcaiojr.site.med.br

www.dracaio.site.med.br