São Paulo / SP - sábado, 21 de outubro de 2017

Mamas

cancar de mama

EM SENDO UM ÍCONE DE GRANDE IMPORTÂNCIA E SIGNIFICADO PARA O SEXO FEMININO, DEVE SER BEM CUIDADO ATRAVÉS DO AUTO-EXAME PREVENTIVO, ASSIM COMO AVALIADO PELO MÉDICO REGULARMENTE, PARA EVITAR DOENÇAS SILENCIOSAS QUE COMPROMETAM SUA QUALIDADE DE VIDA E PROMOVAM GRAVES RISCOS PARA SUA SAÚDE

 

 

COMPOSIÇÃO DAS MAMAS

 

As mamas são glândulas cuja principal função é a produção de leite. Elas são formadas por lobos que são divididos em partes menores que são os lóbulos, ductos que levam o leite produzido pelas mamas através deles até os mamilos, por onde é retirado. Nas mamas também temos vasos sanguíneos (que levam o sangue), vasos linfáticos (que levam a linfa, que é um líquido claro que carrega nutriente e retiram às substâncias indesejáveis, eles se ajuntam formando os gânglios, que quando o organismo apresenta uma infecção no local é vulgarmente chamado de íngua). Os vasos linfáticos das mamas vão até as axilas, tórax e pescoço.

 

 

AUTO EXAME

 

 

 

 

 

QUEIXAS MAIS COMUNS EM RELAÇÃO ÀS MAMAS

 

As queixas mais comuns em relação às mamas felizmente não estão relacionadas ao câncer de mama. Muitas vezes nem significam doença e isto é importante, porque acaba tirando o medo da mulher e este medo às vezes faz com que ela não procure o médico com receio de achar um câncer, por isso quando ela procurar a ajuda de um profissional, este deverá investigar suas mamas o melhor possível  e esclarecê-la para tranqüilizá-la.È muito freqüente a mulher se queixar de inchaço e dor nas mamas (mastalgia). Os inchaços e as dores cíclicas nas mamas (mastalgia cíclica), normalmente são bilaterais, pré-menstruais e neste caso são inchaço e dor nas mamas, devidas às alterações hormonais sofridas pelo organismo neste período. Quando este inchaço e a dor nas mamas forem muito acentuados pode-se fazer um tratamento sintomático.

 

mamografia

Com certa freqüência achamos cistos nas mamas, que são formações nodulares com acúmulo de líquido dentro, nas glândulas mamárias e não têm risco nenhum de se transformar em câncer de mama. Há também certos cistos muito raros, só diagnosticados através do ultra-som e que apresentam formações vegetativas no seu interior; neste caso há necessidade de cirurgia ou retirada de um pequeno fragmento (biópsia) para análise do material.

 

Hoje evitamos o uso do termo Displasia Mamária porque dá uma noção errada de que é uma doença, mas não é.

 

 

 

 

 

Infecções que causam nódulos da mama

 

Infecções da mama são conhecidas como mastite. Mastite é especialmente comum em mulheres que estão amamentando. Quando a pele do mamilo (aréola) está lesionada ou rachada, as bactérias podem entrar na ferida e causar infecções. Em uma mulher amamentando pode entupir um ducto de leite. Às vezes, certos tratamentos podem impedir que a área dolorosa, dificilmente desenvolva uma infecção da mama (mastites). As infecções podem ser tanto uma bolsa de pus de profundidade, em que a infecção parece que está crescendo para dentro da mama (um abscesso), ou com uma área mais ampla de vermelhidão da pele que se espalha (celulite). Piercing no mamilo aumenta o risco de infecções da mama e pode ser particularmente difícil de tratar.

 

 

 Imagem da anatomia da mama

 

 

Lesões que causam nódulos da mama

 

Se uma mama é ferida por trauma, minúsculos vasos sanguíneos podem sofrer ruptura em uma determinada área e apresentar sangramento sob a pele  (hematoma que pode ser sentido como uma protuberância). Trauma na mama pode danificar as células de gordura no tecido mamário, uma condição chamada de necrose de gordura. A lesão também pode formar um nódulo na mama. Estes tipos de nódulos que se seguem a um trauma significativo não são cancerígenos.

Causa de crescimento de nódulos de mama não cancerígenos

 

Fibroadenomas são benignos (não cancerosos) e são muito comuns. Estes tumores ocorrem mais comumente em mulheres de 30 a 35 anos. Fibroadenomas são sólidos, geralmente indolores ou apenas ligeiramente sensíveis. Eles às vezes crescem rapidamente em adolescentes ou durante gravidez.

Cistos da mama estão cheios de líquido, sacos minúsculos dentro do tecido da mama e são benignos. Eles são muito comuns, especialmente em torno de 35 anos. Esses cistos geralmente variam de tamanho durante o ciclo menstrual.

Alterações fibrocísticas são caracterizadas por mamas que estão irregulares com a superfície da glândula granulosa.  

Seios Fibrocísticos parecem ocorrer porque as mamas de uma mulher são muito sensíveis às flutuações dos níveis hormonais. Mulheres com alterações fibrocísticas podem ter dor e / ou nódulos.


SINTOMAS DE CÂNCER DE MAMA

Os sintomas do câncer de mama incluem nódulos mamários indolores, saída de secreção do mamilo (galactorréia), e inflamação da pele da mama.

O câncer de mama normalmente não causa dor na mama. Embora as mulheres freqüentemente se preocupam com a dor na mama, a maioria das mulheres com dor mamária não têm câncer de mama. Apenas cerca de 6% das mulheres com câncer de mama têm dor na mama como o seu primeiro sinal de câncer.

Saída de secreção do mamilo que ocorre sem ser tocado pode ser causada também por tumores benignos (não-cancerosos). Exemplos destes crescimentos é o Papiloma Intraductal (é não canceroso e se projeta para os dutos de leite) e áreas de Ectasia Ductal (dilatação de ductos de leite) Saída de secreção do mamilo também pode ser causada por câncer do tecido mamário. Porque secreção mamilar pode ser um sinal de câncer, ela precisa ser avaliada por um médico.

 

As alterações da pele da mama, incluindo vermelhidão e calor, por vezes podem ser um sinal de câncer de mama. Uma forma de câncer de mama, que geralmente faz com que estes sinais de inflamação apareçam é A Doença de Paget da mama. A maioria de inflamações ou erupções na mama não são devido ao câncer. Eles podem ser causados por problemas benignos como eczema no mamilo ou uma infecção por fungo. Ainda assim, quaisquer pruridos de mama devem ser avaliados por um médico. Áreas que são especialmente ásperas  e vermelhas, principalmente se elas são persistentes, ou se há também a secreção mamilar, muitas vezes são incluídos no fragmento de tecido (biópsia) para excluir câncer.

 

 

Riscos de Câncer de Mama

 

As chances de que um nódulo de mama em particular, ser cancerígeno depende de muitos fatores, incluindo o histórico familiar da mulher, exame físico, mamografia e ultra-sonografia e outros exames. Alguns dos fatores de risco mais importantes são descritos abaixo:

 

História

 

A idade é o maior fator de risco para o câncer de mama. Em outras palavras, a maioria dos casos de câncer de mama ocorre devido ao fato de que o risco de câncer de mama aumenta com a idade. A maioria das mulheres com câncer de mama não têm um histórico de câncer de mama na família. Uma mulher que teve um câncer de mama antes ou que tem um histórico familiar de câncer de mama tem certamente um maior risco de apresentar câncer de mama, especialmente se vários membros da família estão envolvidos, se os casos ocorreram em idade jovem, ou se o câncer envolveu ambas as mamas de um único membro da família.

As mulheres que fizeram radioterapia na área do tórax para tratamento de outro câncer têm um risco significativamente aumentado para câncer de mama.

 

Fatores genéticos

Cerca de 5 a 10% dos casos de câncer de mama têm demonstrado estar relacionados com alterações genéticas hereditárias (mutações). As mutações mais comuns são as dos geneS BRCA1 e BRCA2, embora outras mutações genéticas também podem levar ao câncer de mama.

Os resultados anormais em biópsias anteriores de mama

A descoberta de determinadas condições precedentes em biópsias de mama também podem aumentar o risco de desenvolver câncer de mama. Crescimentos pré-cancerígenos e tumores encontrados em uma biópsia anterior de mama, representam um risco aumentado para o desenvolvimento de câncer de mama e são os seguintes:

 

Carcinoma Ductal in situ (CDIS) É um crescimento descontrolado das células que não se espalhou além do duto do leite, onde está localizado. O Carcinoma Ductal in situ (CDIS) é constituído por células cancerosas que ainda não invadiram outros tecidos. Portanto, o Carcinoma Ductal in situ (CDIS) é uma fase precoce de câncer de mama e é o tipo mais comum de câncer de mama não invasivo. As mulheres que apresentam o Carcinoma Ductal in situ (CDIS) não correm risco de vida, mas deve ser tratado. As mulheres com Carcinoma Ductal in situ (CDIS) têm um risco aumentado para o desenvolvimento de uma recorrência do câncer ou para o desenvolvimento de um novo câncer de mama.

O Carcinoma Lobular in situ (CLIS) é considerado como uma condição na qual células anormais se limitam aos lóbulos na mama (as glândulas que produzem o leite). Ao contrário do Carcinoma Ductal in situ, (CDIS) não é considerado como tendo uma alta probabilidade de se tornar um câncer, mas é um sinal de risco para a mama ou a mama oposta para o desenvolvimento de um câncer. Portanto, as mulheres com Carcinoma Lobular in situ (CLIS) têm uma chance maior de desenvolver câncer de mama.

Doença Proliferativa da mama é uma doença benigna, mas pode ser um sinal de que o câncer de mama pode se desenvolver no futuro. Hiperplasia Ductal (crescimento excessivo de células normais dentro dos ductos mamários) e Hiperplasia Atípica (crescimento excessivo de células anormais nos ductos ou lóbulos que não é grave e abrangente o suficiente para ser classificado como Carcinoma Ductal in situ (CDIS) são exemplos de condições que aumentam o risco global para o desenvolvimento de câncer de mama. Não surpreendentemente, as mulheres com Hiperplasia Atípica têm um risco maior do que aquelas com Hiperplasia Ductal Usual (sem atipia, ou células anormais). 

 

 

Avaliação dos nódulos mamários


Exame Físico

 O exame físico das mamas é um importante método de avaliação para detecção de câncer e é o primeiro passo na avaliação de um nódulo de mama. Infelizmente, o exame manual das mamas não é perfeito. No entanto, se uma massa pode ser sentida manualmente, é importante para estimar a localização da massa de modo que a mamografia e / ou outros exames de diagnóstico podem se concentrar na área específica. O médico também inspeciona as alterações cutâneas suspeitas de que pode ser um sinal de câncer de mama. Outro exame manual que deve ser feito e é muito importante é a investigação dos gânglios linfáticos nas regiões do tórax, pescoço e axilas.Como o exame manual pode deixar passar o câncer de mama, a mamografia também é importante como instrumento de diagnóstico.

 

 

Mamografia

mamografia

Mulheres com um nódulo na mama precisam fazer uma mamografia de ambas as mamas. A mamografia é estimada para ser capaz de detectar cerca de 90% dos cânceres de mama. Isto significa que cerca de 10% dos cânceres de mama não são detectados pela amografia. Portanto, se uma mulher ou o seu médico sentem um nódulo e a mamografia é normal, mais estudos ou biópsias deverão ser realizadas para excluir o diagnóstico de câncer. Às vezes, micro calcificações aparecem na mamografia e faz o médico suspeitar de câncer. Nesses casos, muitas vezes, é recomendável que uma biópsia deve ser feita orientada por um técnico de mamografia para ter certeza da área correta para retirada do material.

 


O ultra-som

 

O ultra-som é útil na avaliação de nódulos mamários. Ele pode distinguir entre um cisto (como um cisto benigno, que é preenchido com líquido) e uma protuberância sólida (que pode ou não ser cancerígena). O primeiro passo na avaliação de um nódulo de mama é a de determinar se é um cisto ou massa sólida, e é isso que um ultra-som pode fazer melhor. Especialmente em mulheres jovens, em quem um cisto benigno pode ser suspeito, se na ultra-sonografia da mulher confirmar um cisto típico, ela não pode exigir qualquer outro procedimento ou biópsia Se no ultra-som não ficar claro que é um cisto, uma nova avaliação é geralmente recomendada. 

Ressonância Magnética (RM)

 

A ressonância magnética (RM) é cada vez mais utilizada na avaliação de nódulos mamários. A ressonância magnética (RM) é uma técnica de radiologia especial, destinada a caracterizar as imagens das estruturas internas do corpo usando magnetismo, ondas de rádio e um computador para produzir imagens das estruturas do corpo. Cânceres exigem uma oferta maior do que os crescimentos não cancerígenos, e as imagens obtidas de uma ressonância magnética podem ajudar a determinar se uma determinada área é cancerígena, porque a ressonância magnética mostra maior contraste nas áreas com um maior fornecimento de sangue. Na maioria dos casos, a ressonância magnética (RM) é realizada se as avaliações da mamografia e ultra-som não são conclusivas.

 

A ressonância magnética (RM) também tem limitações. Por exemplo, a ressonância magnética (RM) não pode detectar a presença de micro calcificações, que podem ser identificadas por mamografia e pode ser um sinal de câncer.

 

 

 

 

Tudo rosa para chamar atenção da campanha do câncer de mama....

Com biópsia a mulher pode ter certeza se seu nódulo é cancerígeno ou não

Existe apenas uma maneira de ter certeza de que um nódulo não é cancerígeno, é ter uma amostragem de tecido (biópsia). Existem várias maneiras de fazer a biópsia:

 

Às vezes, uma aspiração com agulha fina (AAF) é feita. A Aspiração com Agulha Fina (AAF) é como um exame de sangue em que uma agulha é inserida e o líquido é retirado. Uma agulha oca é inserida na área suspeita, e um fragmento de tecido é removido através da agulha. Para se determinar a localização correta da amostra, o nódulo deve ser sentido, ou se não pode ser sentido, a Aspiração por Agulha Fina (AAF)  pode ser feita durante um ultra-som ou mamografia. A Aspiração por Agulha Fina (AAF) de um cisto benigno pode remover o conteúdo líquido do cisto e fazer com que a massa desapareça ou diminua significativamente em volume. Se nenhum líquido pode ser aspirado, a massa é sólida, e uma amostra de tecido deve ser retirada.

 

Dependendo da localização e tamanho do nódulo de mama e da história clínica, o médico também pode recomendar uma biópsia cirúrgica (usando anestesia local ou anestesia geral em uma sala de cirurgia) para remover uma amostra do nódulo para análise.

 

Aspectos Gerais dos Nódulos de Mama

Os nódulos de mama podem ser causados por infecções e lesões não cancerígenas

O câncer de mama normalmente não causa dor na mama. Os sintomas do câncer de mama incluem nódulos mamários indolores, secreção mamilar e inflamação da pele da mama.

As chances de que um nódulo de mama em particular possa ser cancerígeno depende de muitos fatores, incluindo antecedentes familiares, exame físico, genética e outros fatores de risco.

Há apenas uma maneira de ter certeza de que um nódulo não é cancerígeno, é ter uma amostragem de tecido (biópsia). Existem várias maneiras de se fazer a biópsia. O tratamento de um nódulo de mama depende de sua causa.

Autor de contribuição anterior médica: Carolyn L. Crandall, MD

 

Dr. João Santos Caio Jr

Endocrinologista

 

 

 

Contato:

Fones: 55 11 5087-4404 ou 5087-4405

Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122

Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002

e-mails:  drcaio@vanderhaagenbrasil.com

drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com 

vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

 

Site Clinicas Caio

http://drcaiojr.site.med.br/

htpp://dracaio.site.med.br

 

Site Van Der Haagen Brazil

www.vanderhaagenbrazil.com.br

www.obesidadeinfoco.com.br

www.crescimentoinfoco.com.br

www.tireoidismo.com.br

www.clinicasvanderhaagenbrasil.com.br

 

Link Google Maps:

http://maps.google.com.br/maps?f=q&source=s_q&hl=pt-BR&geocode=&q=clinicas+caio&sll=-23.578435,-46.645364&sspn=0.006696,0.009624&g=rua+estela,+515+-+vila+mariana&ie=UTF8&z=17&iwloc=A>/

TRADUTOR/TRANSLATE

 

 

 

CLICK AQUI:

http://www.google.com.br/language_tools?hl=pt-BR