São Paulo / SP - terça-feira, 14 de agosto de 2018

Endocrinologia

Google+

A DEFICIÊNCIA DE VITAMINA D3 (1,25 HIDROXI-2-VIT.D3), TEM DIVERSAS FUNÇÕES EM NOSSO ORGANISMO DESDE A FASE NEONATAL, JUVENIL, ADOLESCENTE ATÉ A FASE ADULTA.

A FONTE ALTERNATIVA , ALÉM DO SOL, A DIETA DEVERIA SER O FATOR COMPENSADOR OU NEUTRALIZADOR DA VITAMINA D. MAS OS ADULTOS INTERNADOS OU SUJEITOS A POUCA EXPOSIÇÃO AO SOL, ALÉM DAS CRIANÇAS, INFANTIL, JUVENIL E ADOLESCENTES, QUE VIVEM EM REGIÕES SETENTRIONAIS OU SE PROTEGEM DO SOL DEVIDO A UMA SÉRIE DE PROBLEMAS CAUSADOS PELO SOL, OBTEM SUA FONTE REPOSITIVA ATRAVÉS DE UTILIZAÇÃO DE VITAMINA D DE FORMA EXOGENA OU EXTERNA, E QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS QUE SE OBSERVA NA PRATICA? FISIOLOGIA–ENDOCRINOLOGIA–NEUROCIÊNCIA-ENDOCRINA (NEUROENDOCRINOLOGIA) – GENÉTICA–ENDÓCRINO-PEDIATRIA (SUBDIVISÃO DA ENDOCRINOLOGIA): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO.

O resultado mesmo através de reposição de dieta, que é muito variavel, tem se tornado em uma deficiência generalizada para a maioria das pessoas, e como sua importancia é vital para grande parte da população, a reposição torna-se um grande problema para o endocrinologista, principalmente em se considerando a formação do osso, incluindo o crescimento estatural para crescimento infantil, juvenil, adolescente, e adultos, incluindo idosos que é muito frequente apresentar deficit dessa substância como um todo.

Insuficiência ou deficiência de vitamina D mostrou-se pandêmica e associada a numerosas doenças inflamatórias e malignas crônicas e até mesmo com risco aumentado de mortalidade. Vários estudos demonstraram que uma alta porcentagem de crianças e adolecentes com doenças reumáticas estão comprometidas.

Os glicocorticóides usados para tratar doenças podem ter um efeito regulador no metabolismo da vitamina D, o que pode agravar adicionalmente a renovação óssea na (DR)- doenças reumáticas. Um século após a sua descoberta e três prêmios Nobel concedidos por descobertas neste tópico, temos evidências claras de que a chamada vitamina D é, na verdade, um hormônio esteroide pleiotrópico similar a outros hormônios esteróides. 

Infelizmente, a sua classificação primária nas vitaminas ainda influência profundamente a nossa percepção profissional sobre a função biológica do 1,25 (OH) 2D e o impacto na ocorrência e no resultado de algumas doenças reumáticas. É necessário distinguir o colecaliferol (comumente chamado de vitamina D), um composto precursor nutricional, da forma hormonal 1,25 (OH) 2D-vitamina D. Esta forma hormonal é sintetizada após um complexo processo bioquímico regulado pelo sistema endócrino.

Este hormônio 1,25 (OH) 2D D tem seu próprio controle endócrino, parácrino (que abrange algumas celulas ao redor das células secretoras e abrange suas células vizinhas) e autócrinas (células que são produzidas apenas nas próprias células). Como o hormônio é definido como uma substância química produzida em uma parte do corpo que estimula a atividade funcional em outra parte, fica claro que o que chamamos de vitamina D não preenche os critérios de definição de vitamina, mas sim os de hormônio.


Ao prescrever medicação para o tratamento de doenças reumáticas, a maioria dos reumatologistas pediátricos não recomenda as vitaminas como obrigatórias, incluindo a vitamina D. No entanto, estudos científicos mais recentes podem em breve mudar essa abordagem. Além da regulação da homeostase (equilibrio corporal normal) do cálcio e renovação óssea, o hormônio D tem propriedades antiproliferativas, pró-diferenciação, antibacterianas, imunomoduladoras e antiinflamatórias no organismo em várias células e tecidos. 


Esses efeitos só podem ser alcançados se o próprio hormônio D (1,25 (OH) 2D) ou seu agonista estiver ligado ao receptor de vitamina D (VDR). A descoberta de que os agonistas do receptor da vitamina D possuem propriedades imunomoduladoras e antitumorais levou a pesquisas a investigar a possibilidade de que esses agonistas possam ser usados como um agente terapêutico para diferentes doenças autoimunes e malignas.

Embora a deficiência de vitamina D seja um problema global com amplo espectro de consequências graves para a saúde pública, o estado inadequado de vitamina D ainda permanece como uma das condições médicas mais comuns e não tratadas. As doenças da tireoide, incluindo o hipotireoidismo, também representam as endocrinopatias mais frequentes na população em geral, e a 1,25 hidroxi-vitamina D está intimamente ligada a essa condição endocrinologica.


O principal objetivo no tratamento de miopatias inflamatórias autoimunes (IMs) é recuperar a função muscular. A presença de infiltrados de células inflamatórias / imunológicas nos tecidos musculares representa a característica comum dos diferentes subtipos de MI (moléstias inflamatórias), embora a correlação entre a extensão do dano muscular e o grau de inflamação esteja frequentemente ausente.

Os tratamentos para os MI (moléstias inflamatórias), baseiam-se na terapia imunossupressora ao longo da vida, com os efeitos adversos bem conhecidos; a recuperação é incompleta para muitos pacientes. Terapias mais eficazes, com efeitos colaterais reduzidos, são altamente desejáveis. Os agonistas do receptor de vitamina D (VDR) emergem para reter as propriedades anti-inflamatórias pleiotrópicas (a pleiotropia descreve o efeito genético de um único gene em múltiplas características fenotípicas.


O mecanismo subjacente são genes que codificam um produto que é usado por várias células ou que possui uma função de sinalização (curso) em cascata que afeta vários alvos), pois regulam a imunidade inata e adaptativa ao mudar a resposta imune do tipo T helper 1 (Th1) pró-inflamatório para a dominância do tipo T helper 2 (Th2)(a diferenciação de células T em relação às células T helper 1 (Th1) versus T helper 2 (Th2) desempenha um papel fundamental em doenças inflamatórias, incluindo respostas imunes alérgicas. 

Doenças alérgicas atópicas, como asma alérgica, rinite alérgica ou conjuntivite alérgica, são caracterizadas por uma dominância de células Th2, enquanto as reações alérgicas de contato dependem da resposta imune do tipo 1). Em células do músculo esquelético, ligandos menos hipercalcêmicos do VDR têm como alvo poderosos mediadores da inflamação, como TNFα (alfa) e TNFα (o papel principal do TNF está na regulação das células imunes . O TNF O papel principal do TNF está na regulação das células imunes . O TNF, sendo um pirogénio endógeno, é capaz de induzir febre, morte celular apoptóticacaquexia, inflamação e inibir a tumorigénese e a replicação viral e responder a sépsis através de células produtoras de IL1 e IL6 .-, sendo um pirogénio endógeno, é capaz de induzir febre, morte celular apoptóticacaquexia, inflamação e inibir a tumorigénese e a replicação viral e responder a sépsis através de células produtoras de IL1 e IL6. O TNF, sendo um pirogénio endógeno, é capaz de induzir febre, morte celular apoptótica , caquexia , inflamação e inibir a tumorigénese e a replicação viral e responder a sépsis através de células produtoras de IL1 e IL6), sem afetar a viabilidade de células musculares ou imunológicas, retendo a potencialidade de contrabalançar a hiperreatividade impulsionada por Th1 estabelecida pela alça inflamatória autoimune entre imunológico e esquelético ; células musculares. Esta revisão resume as características dos agonistas do receptor de vitamina D (VDR) de VDR como candidatos no tratamento futuro de mensagens instantâneas.

Os agonistas do receptor de vitamina D (VDR) são bem conhecidos pela sua capacidade de controlar o metabolismo do cálcio e do osso e de regular o crescimento e a diferenciação de muitos tipos de células. Mais recentemente, ficou claro que os agonistas de VDR possuem propriedades imunorreguladoras e, em particular, atividades protolerogênicas pronunciadas. Esses agentes têm se mostrado eficazes em vários modelos de doenças autoimunes e são os agentes tópicos mais utilizados no tratamento da psoríase, doença autoimune da pele mediada por células Th1 e Th17, indicando sua potencial aplicabilidade no tratamento de uma variedade de doenças auto-imunes. Os agonistas (facilitadores) do receptor de vitamina D (VDR) podem atuar diretamente nas células T, mas as células dendríticas (DCs) parecem ser seus alvos primários. 

Uma atividade potencialmente muito importante dos agonistas do receptor de vitamina D (VDR) estas de VDR é a sua capacidade de induzir células dendríticas ramificações neurais que ligam os neuronios entre si) - (DCs)  tolerogênicas in vitro e in vivo capazes de aumentar as células T (linfocitos celulas de defesa) supressoras CD4 (+) CD25 (+) que, por sua vez, inibem as respostas das células T (linfocitos celulas de defesa) efetoras (As células CD4 (+) CD25 (+) supressoras (bloqueia) células T (linfocitos celulas de defesa)  (TS) desempenham um papel crítico na manutenção da tolerância periférica. 


Pesquisas examinadas aqui respostas proliferativas e funcionais, bem como a expressão gênica diferencial em células T (linfocitos celulas de defesa) (S) (supressão). Pesquisas descobriram que as supressoras (bloqueia) células T (linfocitos celulas de defesa)  (TS) eram hiporresponsivas a estímulos antigênicos in vivo e incapazes de fluxo de Ca (2+) no acoplamento do receptor de células T (linfocitos celulas de defesa) (TCR)). 

Dados recentes mostram agora que os agonistas (facilitadores) do receptor de vitamina D (VDR) modulam seletivamente propriedades tolerogênicas em DCs mieloides, mas não plasmocitóides, dando nova luz sobre as propriedades imunorreguladoras multifacetadas desses agentes. O fato é que a importancia da vitamina D (1,25 hidroxi-vitamina D3) é de significativa importância ao ser humano em varias areas do organismo, não se trata apenas de uma simples vitamina D comum, mas um hormonio muito complexo com vasta interferencia em uma dezena de mecanismo metabólico essencial a vida.

Dr. João Santos Caio Jr.

Endocrinologia – Neurocientista-Endócrino

CRM 20611

 

Dra. Henriqueta V. Caio

Endocrinologista – Medicina Interna

CRM 28930

 

COMO SABER MAIS:
1. Uma nova meta-análise (análise de dados com o resultado de dados de vários estudos) intensiva examinou a redução da pressão arterial em diabéticos e encontrou uma clara redução dos casos de risco de ocorrência de infarto do miocárdio um tempo após a manutenção da pressão arterial mais baixa… 

https://endocrinologiaclinica2.wordpress.com/

Descobertas recentes, nomeadamente hormônios leptina e adiponectina, revisa a noção de que os adipócitos são simplesmente um depósito de armazenamento de energia do corpo. Em vez disso, os adipócitos são também órgãos endócrinos, com várias funções metabólicas na regulação da fisiologia de todo o organismo… 

https://crescersim.wordpress.com/

Após 24 meses, a densidade mineral óssea (DMO) da coluna lombar aumentou significativamente nos pacientes tratados com o hormônio de crescimento (HGH) do que naqueles que receberam a substância inócua… 

https://hghdeficit.wordpress.com/

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.

 

Referências Bibliográficas

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4446840/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4516990/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2879391/

https://www.healthline.com/health/25-hydroxy-vitamin-d-test

 

CONTATO: 

Fones: 55(11) 2371-3337 / (11)9.8197-4706 - TIM

Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121

Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 

e-mail: vanderhaagenbrasil@gmail.com

 

Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br

Joao Santos Caio Jr

http://google.com/+JoaoSantosCaioJr

google.com/+JoãoSantosCaioJrvdh

google.com/+VANDERHAAGENBRAZILvdh

 

Redes Sociais

https://www.tumblr.com/blog/myjoaosantoscaiojr

https://br.pinterest.com/joaocaiojr/

https://www.slideshare.net/CLINICACAIO

https://independent.academia.edu/JCaioJr

https://vanderhaagenclinic.wordpress.com/

https://instagram.com/clinicascaio/

 

Acesse nosso canal deixe seu like!

https://www.youtube.com/user/vanderhaagenbrazil1/videos

 

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t = h&z=17


 




ENDOCRINOLOGIA - NEUROENDOCRINOLOGIA - METABOLOGIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MEMBRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA

 

 

 

OBESIDADE CONTROLADA, SOBREPESO, OBESIDADE, OBESIDADE CENTRAL OU OBESIDADE ABDOMINAL(gordura intra-abdominal)OU OBESIDADE VISCERAL, TEM AUMENTADO SIGNIFICATIVAMENTE DEVIDO A FALTA DE QUALIDADE NUTRICIONAL ,FAZENDO COM QUE A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE(OMS)A CONSIDERE UMA VERDADEIRA EPIDEMIA PARA PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO OU PRINCIPALMENTE PAÍSES RICOS.

 

QUALIDADE DE VIDA, NÃO SE CONSEGUE APENAS COM DETALHES, COM O PASSAR DO TEMPO, É A SOMATÓRIA DE PREVENÇÃO, CORREÇÃO HORMONAL, ESTILO DE VIDA, E PERSISTÊNCIA.

 

 

ALIMENTAÇÃO NA MELHOR IDADE

 

 

 

À semelhança dos demais países latino-americanos, o Brasil vem passando por um processo de envelhecimento populacional nos últimos anos. Segundo estimativas, em 2025 14% da população do país ou 31,8 milhões de  

brasileiros estram com mais de 60 anos.

 

Neste contexto, os profissionais da saúde podem e devem exercer importante função, principalmente no que diz respeito ao acompanhamento das principais mudanças que ocorrem nessa fase da vida, tais como:

 

  •      Fatores Fisiológicos: diminuição das pupilas gustativas e do olfato, diminuição da secreção salivar, aparecimento de  doenças periodontais (saúde bucal), diminuição de substâncias digestivas, diminuição nos movimentos peristálticos (obstipação intestinal);

  •   Fatores Metabólicos: diminuição na secreção de hormônios e enzimas digestivas, dificultando a digestão de açúcares e gorduras;

  •   Fatores Físicos: sedentarismo, limitações físicas, diminuição da acuidade de órgãos dos sentidos, que podem dificultar a compra, a preparação e a ingestão adequada de alimentos;

  •   Fatores Psicossociais: isolamento, solidão e hábitos alimentares pregressos e muitas  vezes inadequados;

  •   Fatores Patológicos: doenças como hipertensão arterial, diabetes, insuficiência cardíaca e osteoporose.

 Ao conviverem com a presença simultânea dessas doenças, os idosos constituem um grupo nutricionalmente vulnerável, situação que pode ser agravada pelo consumo elevado de medicamentos, que freqüentemente provocam efeitos adversos.

Dessa forma, a intervenção nutricional faz-se essencialmente importante. É necessário avaliar as relações entre a composição corporal e o envelhecimento, trabalhar com a capacidade funcional dos macro e micronutrientes e melhorar os hábitos alimentares do idoso, satisfazendo os requerimentos nutricionais preconizados para conduzi-lo a um estado nutricional adequado. Além disso, é preciso prevenir ou minimizar as complicações ocasionadas pelas doenças degenerativas e manter e normalizar as funções do sistema digestório. Todas essas medidas vão contribuir para garantir a qualidade de vida do idoso.

 

Dr. Joao Santos Caio Jr

Endocrinologia-Neuroendocrinologia

CRM:20611


Dra. Henriqueta V.Caio

Endocrinologia e Medicina Interna

CRM:28930

 

Referencia Bibliografica:

Jornal American of Nutrition 2010

 

 DICAS ALIMENTARES PARA A MELHOR IDADE, PARA QUE SUA LONGEVIDADE ESTEJA DIRETAMENTE LIGADA A SUA QUALIDADE DE VIDA, PEMITINDO QUE AO INGERIRIR SUBSTANCIAS ELEMENTARES OXIREDUTORAS, EVITEM MOLESTIAS,(PREVININDO-AS), DE FORMA SAUDAVEL SEM CORRER RISCOS

 

 Corrigindo Radicais livres: Substâncias que aceleram o envelhecimento:


Tem sido reconhecido que os radicais livres são fatores importantes na biologia do envelhecimento e no desenvolvimento de muitas doenças degenerativas associadas à idade.  Estudos mostram que o efeito cumulativo dessas moléculas pode causar alterações irreversíveis nas células ou mutações, que podem favorecer o aparecimento e o desenvolvimento de células cancerígenas. A formação de radicais livres também está relacionada ao enfraquecimento do sistema imunológico e ao envelhecimento. Manchas pigmentadas na pele, rugas precoces, até distúrbios mais sérios como catarata, arteriosclerose, artrite, entre outras, têm sido atribuídos à ação dos radicais livres. A comunidade científica reconhece que algumas doenças mais incapacitantes ou mortais são provocadas pela presença desses radicais. Na lista encontram-se desde os enfisemas, os acidentes vasculares cerebrais, certas afecções reumáticas, doença de Parkinson, mal de Alzheimer, entre outras.

 

A produção de radicais livres pode ser aumentada na presença de uma alimentação inadequada ou pouco saudável. O consumo excessivo de alimentos ricos em gordura, refinados, álcool  e  o baixo consumo de alimentos como cereais integrais, frutas e hortaliças, são hábitos amplamente relacionados com o aumento da produção dessas substâncias danosas ao organismo.

 

Substâncias Antioxidantes x Neutralização dos radicais livres:

 

Estudos recentes tem chamado a atenção para certos nutrientes e componentes alimentares com atividade antioxidante, que teriam potencial para neutralizar a ação dos radicais livres que aceleram o envelhecimento e as desordens crônicas. O betacaroteno, que no organismo se converte em vitamina A, as vitaminas C, E e do complexo B, como o ácido fólico, minerais como selênio, zinco, magnésio e cobre, são substâncias antioxidantes capazes de proteger as células dos danos oxidativos causados pela ação dos radicais livres.

Pesquisas tem evidenciado a melhora das funções cognitivas (memória, pensamento abstrato, capacidade de resolver problemas e atenção) em pessoas com mais de 65 anos, após a utilização de suplementações com quantidades moderadas de vitaminas e minerais. Esses estudos confirmam a importância da utilização de suplementos ou complementos alimentares como um dos fatores para a melhora da qualidade de vida dos idosos e  da sua capacidade de executar atividades no dia a dia, bem como sugerem um retardo de doenças como o Mal de Alzheimer.

 

Nutrientes Essenciais para a manutenção da Saúde do Idoso:

 

      Além dos nutrientes citados acima, a dieta deve fornecer outras substâncias que são essenciais para a saúde do idoso, tais como:


      Cálcio: Mineral importante para prevenção da osteoporose e manutenção dos dentes e ossos saudáveis.


      Fibras: Substâncias essenciais para o bom funcionamento intestinal, além de terem ação no retardo do esvaziamento gástrico, promovendo aumento da sensação de saciedade, e interferirem na taxa de absorção de nutrientes como a glicose e o colesterol.


      Proteínas: Nutrientes essenciais para a formação e reparação dos    tecidos e músculos.


      Ferro: Mineral importante para transporte e armazenamento do oxigênio nas células do organismo. Sua deficiência pode levar à anemia.

 

  Recomendações Nutricionais:


Em geral, a dieta deve ser o mais balanceada possível, oferecendo uma ampla variedade de alimentos frescos, como vegetais e frutas, além de cereais e carnes magras e laticínios. Alimentos como açúcar, sal, alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas devem ser consumidos com restrição.


Abaixo, são apresentados os principais grupos alimentares e sua importância na saúde dos idosos: 

 

  

 

GRUPO ALIMENTAR

 

 

PRINCIPAIS FONTES ALIMENTARES

 

 

PRINCIPAIS NUTRIENTES OFERECIDOS

 

 

CEREAIS (preferencialmente integrais)– Consumir pelos menos 6 porções ao dia

 

 

Arroz, pães, massas, batata, mandioca, milho, farinhas em geral.

 

 

Carboidratos complexos, fibras e vitaminas do complexo B.

 

 

VEGETAIS E FRUTAS – Consumir pelo menos 5 porções ao dia

 

 

Legumes, verduras e frutas em geral.

 

 

Fibras, vitaminas e sais minerais.

 

 

CARNES, OVOS E LEGUMINOSASConsumir pelo menos 2 porções ao dia

 

 

Carne bovina, aves, peixes, ovos de galinha e codorna, feijões, ervilha, grão de bico, lentilha, soja, etc.

 

 

Principais fontes de proteínas, além de zinco, ferro e outros minerais.

 

 

LATICÍNIOS Consumir pelo menos 2 porções ao dia

 

 

Leite, queijos, iogurte, coalhada.

 

 

Proteínas e cálcio.

 

 

 

Como vemos, a alimentação tem um papel fundamental para se determinar o estado nutricional, e conseqüentemente, a saúde de todas as pessoas. O estabelecimento de um plano alimentar que contribua para uma melhor qualidade dos idosos, torna-se um dos grandes desafios para os profissionais da área de Nutrição.

Entretanto, devido à vários fatores fisiológicos, muitas vezes as necessidades nutricionais do idoso são impossíveis de serem alcançadas apenas com a alimentação tradicional. Por este motivo, vários médicos e nutricionistas sentem a necessidade de prescrever complementos alimentares, a fim de alcançar os nutrientes necessários e contribuir para uma melhor qualidade de vida.


Sempre faça exercícios físicos e controle de dieta e nutrição para melhorar sua qualidade de vida!!!

Antes da prática de atividade física recomenda-se uma alimentação mais leve, principalmente no verão.

 

SAIBA MAIS:

1.Quanto tempo eu devo fazer dieta?

www.vanderhaagenbrazil.com.br

2.Por quanto tempo devo fazer exercicios no dia?

http://obesidadecontrolada3.blogspot.com/

3.Qual o melhor exercicio para emagrecer ?

http://pesocontrolado.blogspot.com

 

 

ENDOCRINOLOGIA, NEUROENDOCRINOLOGIA,OBESIDADE VISCERAL, INTRA ABDOMINAL, CENTRAL, SOBREPESO, PESO, EMAGRECER, BARRIGUINHA, TODOS ESTES FATORES E OUTROS COMO COLESTEROL TOTAL,MAL COLESTEROL LDL, BOM COLESTEROL ALTERADO, TRIGLICERIDES, ALTERAÇÕES DOS HORMONIOS SEXUAIS TAIS COMO TESTOSTERONA, DIABETES MELITTUS TIPO 2, QUE FAZEM PARTE DA SINDROME METABÓLICA, ACABARAM COMPROMETENDO O CORAÇÃO E O SISTEMA CARDIORESPIRATÓRIO.




 A obesidade controlada, sobrepeso, obesidade, obesidade central ou obesidade abdominal ou obesidade visceral, eleva o aumento de quantidade de gordura por ingestão de alimentos, por alterações genéticas, por deficiência de exercícios e por fatores nutricionais, levando há um grande risco de saúde isto porque de acordo com a intensidade, pode aumentar a morbidade e comprometer outros órgãos em uma espécie de efeito domino. Em março passado a revista New England Journal of Medicine, realizou uma reportagem especial. Preocupada com o aumento do sobrepeso, obesidade ou obesidade abdominal,obesidade central e obesidade visceral  observando um aumento desta moléstia a nível mundial,isto porque ela facilita a síndrome metabólica que além do diabetes(diabetes mellitus), doenças cardío vasculares,câncer, impotência e outras doenças articulares e muscuartículares podendo levar a morte.


Muitas vezes imaginamos que o simples exercício físico e também a nutrição poderia resolver tais alterações orgânicas. Isto é valido para quem tem um pequeno sobrepeso, entretanto nos devemos nos orientar pelo índice de massa corporal que reflete a ponta do iceberg, principalmente quando comparada a largura da cintura e comparando com a proporção do quadril, poias infelizmente nãos quando começa aparecer outro sintoma, muito dos efeitos destrutivos desta doença já esta em estado avançado. Trata-se de uma doença crônica com algumas síndromes compensáveis e outra.


 

 IMC = Peso em quilogramas  


            (Altura em metros) 2

 

 
 

MEDIDAS DOS PADRÕES CONSIDERADOS PARA NORMALIDADE SOBREPESO, OBESIDADE CENTRAL OU OBESIDADE, OBESIDADE VISCERAL, OBESIDADE ABDOMINAL, QUE SÃO FATORES EVOLUTIVOS SE NÃO LEVARMOS EM CONSIDERAÇÃO O ESTILO DE VIDA TAIS COMO: NUTRIÇÃO, EXERCÍCIOS FÍSICOS, HÁBITOS ALIMENTARES, ETC...

 

O aumento da obesidade ou sobrepeso ou  obesidade viceral ou obesidade abdominal (gordura intra-abdominal) obesidade central, de 1980 até 2004, ela tem aumentado de forma desproporcional enquanto que as doenças cardíacas, cérebro vasculares e diabetes Tipo I, tem diminuído nos EUA e no resto do mundo. Hoje a obesidade mata mais que o cigarro. Nos EUA está se tornando a número 1 em óbitos.

Qualquer coisa que façamos para evitar tais problemas (obesidade, sobrepeso , peso, obesidade intra visceral, abdominal, obesidade central, que nos faça emagrecer) é extremamente importante em se considerando uma qualidade de vida para o ser previnindo doenças complexas, cronicas, e comprometendo nossa longevidade ; não podemos nos esquecer da orientação dietetica (nutricional), e outras atividades preventivas.

Devemos incluir inclusive medicação se for necessário,Yoga se tiver indicação, visto que os estragos são infinitamente maiores do que se aceitarmos a  passividade como solução.


ENTRETANTO NADA SUBSTITUE EXERCICIOS FISICOS , CAMINHADAS, ESTEIRAS EGOMETRICAS , BICICLETA E ESPORTES ORIENTADOS EM GERAL,QUE DEVE SER ACOMPANHADO DAS OUTRAS ATIVIDADES DE FORMA ORIENTADA POR PROFISSIONAIS.


dna 1

 

  


A OBESIDADE POSSUÍ DIVERSOS GENES QUE COMPROMETEM OS SERES HUMANOS ISOLADAMENTE OU EM CONJUNTO COM OUTROS GENES!


A Obesidade é uma doença genética, que é transferida da mãe (DNA mitocondrial) para os filhos.
Há muito tempo nós temos consciência que diversos pesquisadores chegaram à conclusão, de que a mitocôndria pertencente somente a mulher, transfere sua carga única para seus descendentes, ela passa as características genéticas incluindo a obesidade, que possui dezenas de genes que influenciam esta doença. Como o DNA mitocondrial só é transferido através da mulher (sua carga genética), temos condições de saber a origem de todos os seres humanos, através desse órgão celular e suas características mais significativas em seus filhos.
É claro que além dos fatores genéticos, existem outros detalhes que colaboram com essas características, descendentes dessas mães tais como: nutrição (hábitos alimentares),estilo de vida,exercícios,e outros fatores de criação.
Recentemente a rev
as.
ista Científica Obesity, aborda de forma bem clara esse assunto!
Felizmente essas características podem ser controladas por médicos experientes, principalmente
Endocrinologistas

 

 


Sempre faça exercícios físicos e controle de dieta e nutrição para melhorar sua qualidade de vida!!!

Antes da prática de atividade física recomenda-se uma alimentação mais leve, principalmente no verão.

   


COMO CORTAR A GORDURA DA CARNE VERMELHA, VISIVEL NA PEÇA; BOM ISTO É QUASE IMPOSSIVEL, POIS A CARNE VERMELHA POR MAIS MAGRA QUE SEJA PODE APRESENTAR ENTRE SUAS FIBRAS MUSCULARES UM CONTEÚDE DE GORDURA DE APROXIMADAMENTE 30 %, QUE NÃO EVITA SEUS PROBLEMAS COADJUVANTES IMPOSTOS AO SER HUMANO.

 

As CARNES VERMELHAS devem ser consumidas com moderação!!!

  CARNES VERMELHAS, que após serem retiradas as gorduras visiveis, apresentam em meio as fibras nusculares da carne um percentual em torno de aproximadamente, 30 % de gordura (lipides), não claramente visiveis, e que tras em seus conjunto os problemas organicos caracteristicos de sua ingestão, como o colesterol total, LDL colesterol ou mal colesterol, comprometimento do bom colesterol HDL, quilomicrons ou triglicerides entre outras substancias nocivas ao nosso organismo. O ideal é evitá-las ou minimizá-las dentro do razoavel e substituir por outros tipos de carnes , como peixes, carne branca etc.

Magras: coxão mole, fraldinha, alcatra, patinho, filé mignon, músculo. 

Cortes de carne magra que não precisam ter a gordura retirada pelo

consumidor: patinho, músculo, miolo da paleta, peixinho, coxão mole.

Cortes que após a retirada da gordura visível resultam em carne magra: contra

filé, acém, lagarto, maminha, miolo de alcatra, fraldinha.


Dr.João Santos Caio Jr

Endocrinologia - Neuroendocrinologia

CRM:20611

 

Dra Henriqueta V. Caio

Endocrinologia - Medicina Interna

CRM:28930

 

SAIBA MAIS:

1.O que seroa obesidade controlada?

http://obesidadecontrolada3.blogspot.com/

2. Que tipo de alteração terei no meu colesterol?

http://colesteroltriglicerides.blogspot.com/

3. Quais os problemas  a obesidade causará em meu coração?

http://hipertensaoarterial2.blogspot.com/

 

Referências bibliograficas:

Obesity - 2010 18 5 , 1021 -1025 doi

Catriona Syme , Abrahamovwicz Michal

Amel Mahboubi.

 

 

 

 

 

   

 

 

  

 fibra dietética pode ajudar a controlar o ganho de peso corporal  e da circunferência da cintura de acordo com pesquisas realizadas e publicadas na edição de 16 de dezembro de 2009 do Jornal Americano de Clínica Nutricional (American Journal of Clinical Nutrition).

A fibra dietética pode desempenhar um papel de prevenção da obesidade (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade visceral, obesidade central)”.

“Até o momento pouco se estudou sobre o papel que a fibra nutricional de diferentes fontes exerce sobre a obesidade (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade visceral, obesidade central) e a circunferência da cintura”.

Este estudo teve como objetivo avaliar a relação da fibra alimentar total, fibras de cereais, fibras de frutas, fibras de vegetais na obesidade (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade visceral, obesidade central)  e na circunferência da cintura. As pessoas avaliadas nesta pesquisa eram saudáveis no início do estudo, tinham idades entre 20 e 78 anos. Foram feitos questionários com a finalidade de obter a informação nutricional.Foi feito um acompanhamento de cerca de 6 anos e meio com avaliações aleatórias, com outras variáveis dietéticas e estilos de vida.


A ingestão de carboidratos leva ao aumento nos níveis de insulina, que auxiliam na "limpeza" de aminoá­cidos do sangue, menos do triptofano. Este aminoácido, uma vez no cérebro, aumenta a produção de serotonina, que é um neurotransmissor capaz de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, produzir sensação de calma e até induzir ao sono. Dietas com baixo teor de carboidratos por vários dias podem fazer com que o humor fique mais depressivo.

Alimentos saudáveis ricos em carboidratos incluem pães e biscoitos integrais, massa integral, arroz, cereais e frutas. Ah, e não vamos nos esquecer do chocolate.


 

ACIDO FÓLICO MELHORA NOSSO HUMOR, INERFERE NA GESTAÇÃO DA MULHER, É UMA SUBSTANCIA IMPRECINDIVEL PARA NOSSO ORGANISMO.

A deficiência de ácido fólico tem sido associada à depressão em alguns estudos, por levar à queda nos níveis de serotonina no cérebro.


Quantidades pequenas como 200 microgramas já são suficientes para melhorar o humor e podem ser obtidos numa xícara de chá de espinafre cozido ou em um copo de suco de laranja.

 

VITAMINA B6 E CALCIO

Vitamina 6
Também é um ingrediente necessário na produção de serotonina, portanto, alimentos ricos nessa vitamina podem auxiliar no bom humor. Alguns exemplos de alimentos ricos em B6 e carboidratos são: banana, batata, uva passa e cereais integrais.


Cálcio
Sabe-se que ajuda a reduzir irritabilidade e nervosismo em mulheres que sofrem de TPM (tensão pré-menstrual). O ideal é ingeri-lo com regularidade, em torno de 1.200 mg por dia. Está presente no leite, iogurte e queijos.

 

 

 

Dr. João Santos Caio Jr.

Endocrinologia - Neuroendocrinologia

CRM:20611


Dra Henriqueta V.Caio

Endocrinologia - Medicina Interma

CRM:28930

Contatos:
Fones: 55(11) 5572-4848 - (11)2371-3337 - (11) 5087-4404 ou 9.8197-4706
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar  - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: vanderhaagenbrasil@gmail.com
 
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br

Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br

 

 orientação

figura_

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Salvar